Sambas Desenhados em Nanquim Vagabundo

https://spark.adobe.com/page/OEDE01nspmbwF/ Um livro de poesia visual inigualável. Artista visual, talento que nos é alento. Um carinho no coração, uma calma na angústia da vida. Uma certeza de que no final, tudo vai dar certo. Uma história de amor, pois a vida não é feita de outra coisa... o amor que anda dentro de nós, vagando, … Continue lendo Sambas Desenhados em Nanquim Vagabundo

Anúncios

Tecendo a Prática

TECENDO A PRÁTICA Sobre a produção do conhecimento.  "Os produtos de conhecimento incorporam-se a um sistema que se enriquece e se aperfeiçoa", quer dizer, tudo que produzimos e trocamos evoluem enquanto produzimos e trocamos. "Cada uma constitui uma maneira particular de aproximar-se do conhecimento da realidade e cada uma é insubstituível", pois é como se cada experiência fosse a … Continue lendo Tecendo a Prática

Reflexões de ventosas.

EXEMPLO: ESTE PROJETO DE PAISAGISMO EM NY. NY City, no 17º andar (não é o último andar) de um edifício comercial em Manhattan, criado pelo escritório nova iorquino de paisagismo HMWhite; Levando áreas abertas para os intermediários dos edifícios. Qualidade de vida, a gente espera, que seja pensada para quem vive fora de casa, trabalhando, nos prédios das cidades adensadas … Continue lendo Reflexões de ventosas.

O Castelo da Memória

*todas as imagens desta postagem são de autoria prórpria. DAS UTOPIAS SE AS COISAS SÃO INATINGÍVEIS… ORA! NÃO É MOTIVO PARA NÃO QUERÊ-LAS… QUE TRISTES OS CAMINHOS SE NÃO FORA A MÁGICA PRESENÇA DAS ESTRELAS! MARIO QUINTANA – ESPELHO MÁGICO   Acervo exposto no Centro Cultural Municipal Oduvaldo Vianna Filho, O Castelinho do Flamengo, durante os … Continue lendo O Castelo da Memória

de: Sinestesia Mutante, para: nossas consciências.

"Aprendemos, portanto, de todas essas ativações que fizemos na rua e nesses espaços de privilégio, que o nosso objetivo está justamente nessa intersecção, que a melhor maneira de questionar os muitos donos (infelizmente no masculino, sim) desses espaços abertos e fechados é ocupando, criando, ativando e ressignificando o nosso olhar sobre usos não-usos e reusos … Continue lendo de: Sinestesia Mutante, para: nossas consciências.

A mulher, a cidade e o debate sobre o urbano

mulher na bici tomaz vello Foto: Tomaz Vello / Arte: Caroline Nobre

Por Marina Harkot*

Nas últimas décadas, se o cotidiano da mulher brasileira mudou e ela também foi incluída nas relações de trabalho produtivo e externos à casa, os papéis de gênero na dinâmica familiar – fruto de séculos de construção sociocultural – não se alteraram no mesmo ritmo. As responsabilidades referentes ao âmbito doméstico, ao invés de serem compartilhadas entre os membros da família, continuaram recaindo majoritariamente sobre a figura da esposa e mãe – quando é este o caso – e resultam em jornadas duplas ou até mesmo triplas de trabalho externo, administração do lar e cuidado dos filhos.

A entrada massiva da mulher brasileira no mercado de trabalho a partir dos anos 70 coincide com o momento em que o planejamento urbano sob a perspectiva masculina se faz perceber com maior força. Antes principalmente associadas ao espaço doméstico e ao trabalho…

Ver o post original 761 mais palavras