Tecendo a Prática

TECENDO A PRÁTICA Sobre a produção do conhecimento.  "Os produtos de conhecimento incorporam-se a um sistema que se enriquece e se aperfeiçoa", quer dizer, tudo que produzimos e trocamos evoluem enquanto produzimos e trocamos. "Cada uma constitui uma maneira particular de aproximar-se do conhecimento da realidade e cada uma é insubstituível", pois é como se cada experiência fosse a … Continue lendo Tecendo a Prática

Anúncios

Então, vamos nos unir?

  Imagens: Página Facebook Heidelberg Project Mas afinal, a qual processo social específico posso afirmar que me alinho? Bem... para dar início posso começar pelo conflito entre o aluguel alto que pago e que ganho pouco para conseguir ter o mínimo individualmente ou com a soma dos integrantes viventes nesta casa, que dirá ter um … Continue lendo Então, vamos nos unir?

Reflexões de ventosas.

EXEMPLO: ESTE PROJETO DE PAISAGISMO EM NY. NY City, no 17º andar (não é o último andar) de um edifício comercial em Manhattan, criado pelo escritório nova iorquino de paisagismo HMWhite; Levando áreas abertas para os intermediários dos edifícios. Qualidade de vida, a gente espera, que seja pensada para quem vive fora de casa, trabalhando, nos prédios das cidades adensadas … Continue lendo Reflexões de ventosas.

O Castelo da Memória

*todas as imagens desta postagem são de autoria prórpria. DAS UTOPIAS SE AS COISAS SÃO INATINGÍVEIS… ORA! NÃO É MOTIVO PARA NÃO QUERÊ-LAS… QUE TRISTES OS CAMINHOS SE NÃO FORA A MÁGICA PRESENÇA DAS ESTRELAS! MARIO QUINTANA – ESPELHO MÁGICO   Acervo exposto no Centro Cultural Municipal Oduvaldo Vianna Filho, O Castelinho do Flamengo, durante os … Continue lendo O Castelo da Memória

de: Sinestesia Mutante, para: nossas consciências.

"Aprendemos, portanto, de todas essas ativações que fizemos na rua e nesses espaços de privilégio, que o nosso objetivo está justamente nessa intersecção, que a melhor maneira de questionar os muitos donos (infelizmente no masculino, sim) desses espaços abertos e fechados é ocupando, criando, ativando e ressignificando o nosso olhar sobre usos não-usos e reusos … Continue lendo de: Sinestesia Mutante, para: nossas consciências.

A mulher, a cidade e o debate sobre o urbano

mulher na bici tomaz vello Foto: Tomaz Vello / Arte: Caroline Nobre

Por Marina Harkot*

Nas últimas décadas, se o cotidiano da mulher brasileira mudou e ela também foi incluída nas relações de trabalho produtivo e externos à casa, os papéis de gênero na dinâmica familiar – fruto de séculos de construção sociocultural – não se alteraram no mesmo ritmo. As responsabilidades referentes ao âmbito doméstico, ao invés de serem compartilhadas entre os membros da família, continuaram recaindo majoritariamente sobre a figura da esposa e mãe – quando é este o caso – e resultam em jornadas duplas ou até mesmo triplas de trabalho externo, administração do lar e cuidado dos filhos.

A entrada massiva da mulher brasileira no mercado de trabalho a partir dos anos 70 coincide com o momento em que o planejamento urbano sob a perspectiva masculina se faz perceber com maior força. Antes principalmente associadas ao espaço doméstico e ao trabalho…

Ver o post original 761 mais palavras

“Perspectivas de gênero no planejamento urbano” – Ana Falú

Sobre as mulheres e as cidades. “Duas fêmeas”

FeminismUrbana

11174260_10204124563131452_4654102299804784068_oA militante feminista Ana Falú é uma das maiores referencias da América Latina nos estudos de Cidade e Gênero. Arquiteta e urbanista, se formou na Universidade Nacional de Tucumán, na Argentina; e fez doutorado em habitação social na Universidade Técnica de Delft, na Holanda. Seu campo de pesquisa e ação está no projeto e nas políticas urbanas e habitacionais com perspectiva de gênero. É fundadora da “Red Mujer y Hábitat de América Latina”, de CISCSA, da “Articulación Feminista Marcosur”, entre outras instituições pelo direito das mulheres. Ela foi ainda coordenadora do UNIFEM (hoje conhecido como ONU Mulheres), primeiro como representante da Região Andina e mais tarde do Brasil e Países do Cone Sul. Em 2013, ganhou o prêmio “Trayectoria Feminista” na Argentina.

Atualmente Ana Falú é presidenta, professora e pesquisadora em arquitetura e urbanismo na Universidade Nacional de Córdoba e diretora do INVIHAB – Instituto de Pesquisa sobre Habitação e Habitat…

Ver o post original 600 mais palavras